Revista de Economia e Sociologia Rural
https://www.revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2021.238057
Revista de Economia e Sociologia Rural
Artigo Original

Valoração econômica da água na suplementação hídrica da agricultura brasileira em um modelo multissetorial de crescimento

Economic valuation of supplementary water in Brazilian crops in a multisector growth model

Peterson Felipe Arias Santos; Humberto Francisco Silva Spolador

Downloads: 1
Views: 256

Resumo

Resumo: Apesar de possuir uma das maiores reservas de água doce do mundo, o Brasil apresenta uma elevada concentração deste recurso hídrico na região Norte, de modo que existe relativa escassez no atendimento de diferentes demandas, entre as quais a irrigação, abastecimento humano e uso industrial. Nesse sentido, têm surgido propostas e experiências de políticas de cobrança pelo uso da água que, inevitavelmente, passam pela atribuição de um valor econômico para ela. Os resultados empíricos deste artigo fornecem estimativas do valor econômico da água utilizada na suplementação hídrica de lavouras selecionadas, por meio da aplicação de um modelo multissetorial de crescimento, calibrado para o ano de 2005, utilizando uma matriz de contabilidade social com discriminação da remuneração da água, e um exercício de decomposição do crescimento. Os valores da água obtidos são expressos por meio de dois conceitos distintos existentes em uma perspectiva intertemporal: sua remuneração-sombra e seu preço-sombra. Os maiores valores de remuneração e preço-sombra estão no grupo de “outras lavouras” – lavouras que não correspondem às produções de arroz e de cana-de-açúcar – do Centro-Sul brasileiro. Por outro lado, os menores valores foram obtidos para a cana-de-açúcar também no Centro-Sul, que é o maior demandante de água do país.

Palavras-chave

valor da água, agricultura brasileira, crescimento econômico, equilíbrio geral dinâmico

Abstract

Abstract: Despite having one of the largest freshwater reserves in the world, Brazil has a high concentration of this resource in the Northern region, thus, there is a relative shortage for meeting different demands, including irrigation, human consumption, and industrial use. In this sense, proposals and public policies for water use have emerged, which inevitably involve attributing an economic value to water use. The empirical findings of this study give estimations for the economic value of the water used for Brazilian crop supplementation, using a multisector growth model, calibrated for 2005 through a social accounting matrix with discrimination of water remuneration, and a growth accounting exercise. The water values obtained are expressed by two different concepts, defined in an intertemporal perspective: shadow rental value and shadow price. The highest shadow rental values and shadow prices values are in the group of “other crops” – crops that do not correspond to the rice or sugar cane production – in the Brazilian South-Central. On the other hand, the lowest values were obtained for sugar cane in the South-Central, which is the largest water user in the country.
 

Keywords

water value, Brazilian agriculture, economic growth, Dynamic general equilibrium

Referências

Agência Nacional de Águas – ANA. (2017). Atlas irrigação: uso da água na agricultura irrigada. Brasília: ANA.

Agência Nacional de Águas – ANA. (2019). Manual de Usos Consuntivos da Água no Brasil. Brasília: ANA.

Aude, M. I. S. (1993). Estádios de desenvolvimento da cana-de-açúcar e suas relações com a produtividade. Ciência Rural, 23(2), 241-248. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-84781993000200022.

Banco Mundial. (2019). World Development Indicators Database. Recuperado em 14 de maio de 2020, de https://databank.worldbank.org/data/source/world-development-indicators

Barbosa Filho, F. H., & Pessôa, S. A. (2014). Pessoal ocupado e jornada de trabalho: uma releitura da evolução da produtividade no Brasil. Revista Brasileira de Economia, 68(2), 149-169. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-71402014000200001

Barro, R. J., & Sala-i-Martin, X. (2004). Economic growth (2nd ed.). Cambridge: MIT Press.

Bastos, A. C. (2013). Fornecimento de cana-de-açúcar e integração vertical no setor sucroenergético do Brasil (Dissertação de mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo, Piracicaba. http://dx.doi.org/10.11606/D.11.2013.tde-15052013-094143.

Bragagnolo, C., Spolador, H. F. S., & Barros, G. S. C. (2010). Regional Brazilian Agriculture TFP analysis: a stochastic frontier analysis approach. Economia, 11(4), 217-242. Recuperado em 14 de maio de 2020, de https://ideas.repec.org/a/anp/econom/v11y2010i4217_242.html

Brasil. Ministério da Integração Nacional. (2008). A irrigação no Brasil: situação e diretrizes. Brasília: IICA.

Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB. (2015). Vinhaça - Critérios e procedimentos para aplicação no solo agrícola (3. ed.). São Paulo: CETESB.

Conesa, J. C., Kehoe, T. J., & Ruhl, K. J. (2007). Modeling great depressions: the depression in Finland in the 1990s. Federal Reserve Bank of Minneapolis Quarterly Review, 31(1), 16-44. http://dx.doi.org/10.3386/w13591

Fang, X., Roe, T. L., & Smith, R. B. W. (2015). Water shortages, intersectoral water allocation and economic growth: the case of China. China Agricultural Economic Review, 7(1), 2-26. http://dx.doi.org/10.1108/CAER-02-2014-0014

Frizzone, J. A., Coelho, R. D., Dourado-Neto, D., & Soliani, R. (1997). Linear programming model to optimize the water resource use in irrigation projects: an application to the Senator Nilo Coelho Project. Scientia Agricola, 54(spe), 136-148. http://dx.doi.org/10.1590/S0103-90161997000300016.

Fundação de Apoio à Universidade Federal de Viçosa – FUNARBE. (2011). Desenvolvimento de matriz de coeficientes técnicos para recursos hídricos no Brasil. Brasília: MMA. Recuperado em 14 de maio de 2020, de http://mma.gov.br/estruturas/161/_publicacao/161_publicacao21032012055532.pdf

Gasques, J. G., Bastos, E. T., Valdes, C., & Bacchi, M. R. P. (2012). Produtividade da agricultura brasileira e os efeitos de algumas políticas. Revista de Política Agrícola, 21(3), 83-92. Recuperado em 14 de maio de 2020, de https://seer.sede.embrapa.br/index.php/RPA/article/view/248/208

Gelain, J. G. (2018). Análise do custo-benefício da exportação de água virtual no setor agropecuário brasileiro (Dissertação de mestrado). Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”, Universidade de São Paulo. https://doi.org/10.11606/D.11.2018.tde-21062018-174459.

Haqiqi, I., Taheripour, F., Liu, J., & van der Mensbrugghe, D. (2016). Introducing Irrigation Water into GTAP Data Base Version 9. Journal of Global Economic Analysis, 1(2), 116-155. http://dx.doi.org/10.21642/JGEA.010203AF.

Horridge, M. (2003). ORANI-G: A Generic Single-Country Computable General Equilibrium Model. Australia: Monash University, Centre of Policy Studies.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. (2019). Sistema IBGE de Recuperação Automática. Rio de Janeiro: IBGE. Recuperado em 14 de maio de 2020, de https://sidra.ibge.gov.br

Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEADATA. (2019). Ipeadata. Recuperado em 14 de maio de 2020, de http://www.ipeadata.gov.br/

Johansson, R. C. (2005). Micro and macro-level approaches for assessing the value of irrigation water. Washington: World Bank. http://dx.doi.org/10.1596/1813-9450-3778.

Kelman, J., & Ramos, M. (2005). Custo, valor e preço da água utilizada na agricultura. REGA - Revista de Gestão de Água Da América Latina, 2(2), 39-48. Recuperado em 14 de maio de 2020, de https://www.abrh.org.br/SGCv3/index.php?PUB=2&ID=66&SUMARIO=821

Mulligan, C., & Sala-i-Martin, X. (1991). A Note on the time-elimination method for solving recursive dynamic economic models (NBER Working Paper, No. t0116). Cambridge: NBER. http://dx.doi.org/10.3386/t0116.

Pinheiro, J. C. V., & Shirota, R. (2000). Determinação do preço eficiente da água para irrigação no Projeto Curu-Paraipaba. Revista Economica do Nordeste, 31(1), 36-47.

Pinto, C. V. (2011). Effects of economy-wide factors on Brazilian economic growth and biofuels production: an inter-temporal general equilibrium analysis (Doctoral dissertation). College of Food, Agricultural and Natural Resource Sciences, University of Minnesota, Minnesota. Recuperado em 14 de maio de 2020, de http://hdl.handle.net/11299/104552

Ramsey, F. P. (1928). A mathematical theory of saving. Economic Journal (London), 38(152), 543. http://dx.doi.org/10.2307/2224098

Roe, T. L., & Smith, R. B. W. (2015). Mainstreaming of ecosystem services into sectoral and macroeconomic policies and programmes of Republic of Kazakhstan. Nairóbi: UNEP.

Roe, T. L., Smith, R. B. W., & Saracoğlu, D. S. (2010). Multisector growth models. USA: Springer. http://dx.doi.org/10.1007/978-0-387-77358-2

Santos, P. F. A., & Spolador, H. F. S. (2018). Produtividade Setorial e Mudança Estrutural no Brasil – Uma Análise para o Período 1981 a 2013. Revista Brasileira de Economia, 72(2), 217-248. http://dx.doi.org/10.5935/0034-7140.20180011

Serviço Geológico do Brasil. (2019). Atlas Pluviométrico do Brasil. Recuperado em 14 de maio de 2020, de http://www.cprm.gov.br/publique/Hidrologia/Mapas-e-Publicacoes/Atlas-Pluviometrico-do-Brasil-1351.html

Silva, M. A. S., Griebeler, N. P., & Borges, L. C. (2007). Uso de vinhaça e impactos nas propriedades do solo e lençol freático. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 11(1), 108-114. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662007000100014

Smith, R. B. W., & Gemma, M. (2014). Valuing ecosystem services in macroeconomic settings. In P. Nunes, P. Kumar, & T. Dedeurwaerdere (Eds.), Handbook on the economics of ecosystem services and biodiversity (pp. 130-152). United Kingdom: Edward Elgar Publishing. http://dx.doi.org/10.4337/9781781951514.00015

Smith, R. B. W., Nelson, H., & Roe, T. L. (2015). Groundwater and Economic Dynamics, Shadow Rents and Shadow Prices: The Punjab. Water Economics and Policy, 1(3), 1550014. http://dx.doi.org/10.1142/S2382624X15500149

Teixeira, R. M. (1990). Demanda de água: a tarifa vista sob a ótica do preço-sombra (Dissertação de mestrado). Escola de Pós Graduação em Economia, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo. Recuperado em 14 de maio de 2020, de http://hdl.handle.net/10438/7962

Torres, M. D. O., Maneta, M., Howitt, R., Vosti, S. A., Wallender, W. W., Bassoi, L. H., & Rodrigues, L. N. (2012). Economic impacts of regional water scarcity in the São Francisco River Basin, Brazil: an application of a linked hydro-economic model. Environment and Development Economics, 17(2), 227-248. http://dx.doi.org/10.1017/S1355770X11000362

Tsur, Y., Dinar, A., Doukkali, R. M., & Roe, T. (2004). Irrigation water pricing: policy implications based on international comparison. Environment and Development Economics, 9(6), 735-755. http://dx.doi.org/10.1017/S1355770X04001494

União da Indústria de Cana-de-Açúcar – UNICA. (2019). Mapa da produção. São Paulo: UNICA. Recuperado em 14 de maio de 2020, de https://www.unica.com.br/setor-sucroenergetico/mapa-da-producao/
 


Submetido em:
14/05/2020

Aceito em:
08/02/2021

60e5ab81a95395226367d412 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections