Revista de Economia e Sociologia Rural
https://www.revistasober.org/article/doi/10.1590/1806-9479.2023.267478
Revista de Economia e Sociologia Rural
ARTIGO ORIGINAL

Evolução da mobilidade educacional e da acumulação do capital humano no Brasil entre 1996 e 2014: os desafios para subgrupos da população

Adriano Firmino Valdevino de Araújo; José Luis da Silva Netto Junior; Liédje Bettizaide Oliveira de Siqueira

Downloads: 0
Views: 221

Resumo

Resumo: O presente estudo pretende averiguar o crescimento da acumulação do capital humano no Brasil entre os anos de 1996 e 2014 para subgrupos da população. A partir dos dados do suplemento de mobilidade educacional da Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios dos referidos anos e o uso da metodologia do Processo de Markov combinado com aplicação da Decomposição de Blinder-Oaxaca foi possível detectar ganhos diferenciados de acúmulo de capital humano para os grupos analisados. Os resultados apontam que houve uma melhoria considerável da educação para as mulheres e ainda para os indivíduos declarados pretos e os filhos corresidentes, entretanto, chama atenção a baixa mobilidade educacional para as pessoas residentes no setor rural. Esta pesquisa inova ao incorporar as mulheres e os filhos dependentes na amostra, bem como ao analisar os diferenciais de acumulação de capital humano entre subgrupos populacionais.

Palavras-chave

capital humano, desigualdade de oportunidades, mobilidade intergeracional, decomposição de Blinder-Oaxaca

Referências

Araújo, A. F. V., Netto Junior, J. L. S., & Siqueira, L. B. O. (2022a). Estrutura familiar e dinâmica educacional entre gerações. Revista Brasileira de Estudos de Populacao, 39, 1-27. http://dx.doi.org/10.20947/S0102-3098a0192

Araújo, A. F. V., Netto Junior, J. L. S., & Siqueira, L. B. O. (2022b). Mobilidade Intergeracional Educacional no Brasil: uma análise comparativa dos anos de 1996 e 2014. Revista Brasileira de Estudos Regionais e Urbanos, 16(1), 91-112. http://dx.doi.org/10.54766/rberu.v16i1.821

Barros, R. P., & Lam, D. (1993). Desigualdade de renda, desigualdade em educação e escolaridade das crianças no Brasil. Pesquisa e Planejamento Economico, 23(2), 191-218.

Barros, R. P., Mendonça, R., Santos, D. D., & Quintaes, G. (2001). Determinantes do desempenho educacional no Brasil. Pesquisa e Planejamento Economico, 31(1), 1-42.

Becker, G. S., & Tomes, N. (1986). Human capital and the rise and fall of families. Journal of Labor Economics, 4(3), S1-S39.

Behrman, J. R., Gaviria, A., & Szekely, M. (2001). Intergenerational Mobility in Latin America. Economía, 2(1), 1-31. http://dx.doi.org/10.1353/eco.2001.0010

Bickenbach, F., & Bode, E. (2001). Markov or not Markov? This should be a question. Regional Science and Urban Economics, 29(2), 257-281.

Bickenbach, F., & Bode, E. (2003). Evaluating the Markov property in studies of economic convergence. International Regional Science Review, 26(3), 363-392. http://dx.doi.org/10.1177/0160017603253789

Birchenall, J. A. (2001). Income distribution, human capital and economic growth in Colombia. Journal of Development Economics, 66(1), 271-287. http://dx.doi.org/10.1016/S0304-3878(01)00162-6

Bourguignon, F., Ferreira, F. H. G., & Menéndez, M. (2007). Inequality of opportunity in Brazil. Review of Income and Wealth, 53(4), 585-618.

Ermisch, J., & Francesconi, M. (2001). Family matters: impacts of family background on educational attainments. Economica, 68(270), 137-156. http://dx.doi.org/10.1111/1468-0335.00239

Ferreira, S. G., & Veloso, F. A. (2003). Mobilidade intergeracional de educação no Brasil. Pesquisa e Planejamento Economico, 33(3), 481-513.

Figueiredo, E. A., Silva, C. R. F., & Rego, H. O. (2012). Desigualdade de oportunidades no Brasil: Efeitos diretos e indiretos. Economia Aplicada, 16(2), 237-254. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-80502012000200002

Galor, O. (2000). Income distribution and the process of development. European Economic Review, 44, 706-712.

Galor, O., & Tsiddon, D. (1997). Technological progress, mobility, and economic growth. The American Economic Review, 87(4), 363-382. http://dx.doi.org/10.2307/2951350

Geweke, J., Marshall, R. C., & Zarkin, G. A. (1986). Mobility Indices in Continuous Time Markov Chains. Econometrica, 54(6), 1407-1423. Recuperado em 01 de setembro de 2022, de http://www.jstor.org/stable/1914306

Jann, B. (2008). The Blinder-Oaxaca decomposition for linear regression models. The Stata Journal, 8(4), 453-479. http://dx.doi.org/10.1177/1536867x0800800401

Mahlmeister, R., Ferreira, S. G., Veloso, F., Menezes-Filho, N., & Komatsu, B. K. (2019). Revisitando a Mobilidade Intergeracional de Educação no Brasil. Revista Brasileira de Economia, 73(2), 159-180. http://dx.doi.org/10.5935/0034-7140.20190008

Netto Junior, J. L. S., Ramalho, H. M. B., & Silva, E. K. (2013). Transmissão intergeracional de educação e mobilidade de renda no Brasil. Economia e Desenvolvimento (Recife), 12(2), 6-34.

Ramalho, H. M. B., & Netto Junior, J. L. S. (2018). Dinâmica Intergeracional de Educação e Corresidência entre Pais e Filhos Adultos no Brasil. Análise Econômica, 36(69), 231-266. http://dx.doi.org/10.22456/2176-5456.52942

Savegnago, M. (2016). Igmobil: a command for intergenerational mobility analysis in stata. The Stata Journal, 16(2), 386-402. http://dx.doi.org/10.1177/1536867X1601600207

Shorrocks, A. F. (1978). The measurement of mobility. Econometrica, 46(5), 1013-1024. Recuperado em 01 de setembro de 2022, de http://www.jstor.org/stable/1911433
 


Submetido em:
01/09/2022

Aceito em:
06/02/2024

65ef5604a9539551d26fec63 resr Articles
Links & Downloads

resr

Share this page
Page Sections